Movimentos que se espelham na criatividade da natureza para gerar abundância:

EMAIL
FACEBOOK0
FACEBOOK
GOOGLE
INSTAGRAM0
PINTEREST0
PINTEREST
woman-open-arms(1)Permacultura:

Forma de pensar e conceber princípios ecológicos para aplicação criativa em ecossistemas produtos, de modo a refletir a diversidade, estabilidade e resistência próprias dos ecossistemas naturais. Através de design, planejamento, implantação e manutenção consciente, obtém-se integração harmoniosa entre pessoas e paisagem, provendo alimentação, energia e habitação, entre outras necessidades essenciais, de forma sustentável. Os três pilares da Permacultura são: Cuidado com a Terra, Cuidado com as Pessoas e Repartir os excedentes.

http://www.permacultura.org.br/rbp/sobre.html

Comércio Sagrado:

Sistema de troca baseado na parceria que valoriza o capital social para incluir o talento como moeda humana; e a confiança como moeda da rede. Desconstrução da supervalorização do dinheiro para considerá-lo como apenas mais uma moeda. Propõe uma economia local baseada na dádiva, na criatividade, no amor, no sentido, na solidariedade e na colaboração. Para isso, disponibiliza de ferramentas como feiras de trocas, acordos de responsabilidade, banco de tempo, entre outras. Incentiva o serviço (integrados mente, coração, corpo e espírito) em lugar do trabalho (alienante), através do estímulo à reconexão do indivíduo com seus sonhos, talentos e habilidades criativas essenciais. Seu intuito é conectar a abundância para co-criação de novas economias, novas comunidades/famílias/redes, novos humanos.

https://www.facebook.com/ComercioSagrado?fref=ts

Economia Solidária:

Redefinição nas relações econômicas pela possibilidade de libertação humana em face da realidade alienante e assalariada das relações de trabalho capitalista. Propõe uma transição do atual modelo econômico centrado no capital, para um novo modelo centrado em pessoas. Sua base é voltada para a produção, consumo e comercialização de bens e serviços, de modo autogestionável, por associações ou cooperativas que trabalhem para construção de um ambiente socialmente justo, economicamente viável e ambientalmente equilibrado.

http://www.fbes.org.br/

Consumo Consciente:

Conscientização da pessoas pela escolha de produtos de acordo história das empresas que os fornecem. Muito além do preço e da qualidade, trata-se de uma opção de consumo que considera os valores ético, igualitário, ecológico ou socioeconômico. Aqui estão inseridos o veganismo, a proteção contra o trabalho infantil, contra a escravização, contra a devastação dos recursos naturais, contra o uso de agrotóxicos e pesticidas, contra a homogenização cultural.

 http://www.akatu.org.br/

Agroecologia:

Redefinição das relações entre ser humano e natureza. Busca uma transição do atual modelo de agronegócio para o modelo agroecológico, onde a produção de alimentos puros (livres de agrotóxicos) está associada à valorização da sabedoria popular tradicional e do intercâmbio na diversidade cultural. Seu intuito é popularizar práticas e facilitar acessos a uma alimentação saudável e diversificada, produzida e distribuída, de forma justa e solidária, a toda humanidade.

http://www.agroecologia.org.br/

Movimento Ecológico:

Orienta para o uso sustentável dos recursos naturais, integrando a ética ecológica às atividades governamentais de organização, bem como atividades econômicas de produção. Promove, inclusive, a redução de consumo; re-utilização; reparação; e reciclagem, considerados os impactos provocados na natureza pela criação de novos produtos/serviços.


Promoção da Saúde:

Propõe uma administração participativa, onde os próprios usuários adquirem habilidades e poder para modificar os determinantes de saúde e atuar em benefício da própria qualidade de vida. A intenção é que os usuários se apropriem das ações de saúde e tornem-se sujeitos/comunidades ativas. Esta trajetória reúne a convivência com a diversidade de culturas, a equidade, a participação social, o empoderamento dos participantes, a sustentabilidade institucional e a construção de parcerias para o desenvolvimento da intersetorialidade.

http://www.taps.org.br/

 

Para se aprofundar, recomendamos a leitura do livro:
SILVA, Paulo Roberto da. Consciência e Abundância. Niterói, 2009.

Fonte: http://panelasdecapim.blogspot.com/2014/07/vivendo-abundancia-fluxo-entrega-e.html

 

Texto colaboração: