Aprendendo com a brincadeira e a natureza

EMAIL
FACEBOOK0
FACEBOOK
GOOGLE
INSTAGRAM0
PINTEREST0
PINTEREST

kajas-zale-plava-pedu-masaza-mazulis-47404803“O vento bate forte, avisto as ondas saltando umas pelas outras. Nem consigo ouvir o que as crianças dizem. É engraçado como o vento pode nos calar pelos ouvidos. Apenas aprecio a cena. Giullia sobe no tronco largo e cheio de lodo que após a intensa chuva do dia anterior, repousa sobre a areia à margem do rio. Raul não fica para trás, seguem equilibrando com os braços abertos e a boca também, como se quisessem engolir o vento para encher a barriga de nada.

Mudar é isso, encher a barriga de nada. Sair do conforto dos caminhos trilhados que permitiam segui-los de olhos fechados para uma imensidão de possibilidades que beiram o nada.
Observo atenta as crianças brincando livres na areia. O tronco agora é um imenso cavalo alado que os levará para o outro lado do rio para salvar o monstro. O monstro? Isso mesmo, numa brincadeira onde a imaginação pode germinar num banco de areia não há limites para o que se possa viver.

Escolher a vida próxima à natureza não é garantia de tardes infindáveis de sol intenso. É a possibilidade de vivenciar e aprender sobre ciclos, começos e fins. Numa sociedade pautada pelos ponteiros de um relógio insistente em apressar processos, o som de um despertador ao amanhecer interrompe sonhos porque já é hora de acordar para a realidade da vida.

Mudar de cidade, buscar conexão com a natureza, realizar projetos enquanto acompanho de perto o crescimento e desenvolvimento dos filhos, essa foi a minha escolha. A conexão com a natureza é inspiradora para escrever e auxilia nos momentos de tensão: basta sair, caminhar à beira da praia e sentir o peito se encher de gratidão. Autonomia e interdependência são os ganhos para as crianças, pois aprendem em um ambiente de maior liberdade. Podem conhecer seus limites, buscar a superação e apoio quando necessário.

As brincadeiras já não pedem tantos brinquedos, a imaginação cuida de criá-los. A cooperação passa a emergir mais facilmente. É possível parar para um longo abraço. Mas cuidado, pois se não ficarmos atentos podemos estar a léguas do paraíso se persistirmos no correr das horas. E aqui, o cheiro da maresia e o barulho das ondas me lembram a todo momento que é preciso cuidar da conexão interior. Essa é a mágica do contato com a natureza, ela nos lembra a todo momento de que uma estação se vai para outra chegar, que a chuva vem para germinar, que o sol aquece para madurar.”

Coleção Tudo Muda de Lugar

12992071_10207297388527370_1982814444_nFernanda Zechinatto é autora da Coleção Tudo Muda de Lugar.

A coleção Tudo Muda de Lugar é composta por 4 livros: Bululuca de Mudança; Aquino, o Sapo Menino; O Nó e o Laço; O Rio e o Mar. São estórias “poemadas” que falam das mudanças na vida: as que temos escolha e a que não temos escolha.

A ideia dos livros surgiu após a mudança de cidade e os novos desafios na vida da autora. Psicóloga, atuando na área social e educação, quatro filhos e o desafio de mudar de cidade. Morar perto do mar era um sonho acalentado desde a infância e as férias tão esperadas. Em 2013 surgiu a oportunidade de trabalhar em Itanhaém e me mudei com a família. Os desafios foram muitos, e surgiu um desejopara seguir realizando sonhos e propósitos. A transformação a partir dos livros e dos encontros é o foco do meu trabalho. Com a vivência em consultório e escola percebi o quanto é difícil falarmos sobre temas delicados como: separação, morte, mudança, e o quanto isso interfere na vida da criança. A literatura, os poemas e as ilustrações são um caminho para chegarmos às emoções e sentimentos. Assim podemos falar do que dói, do que incomoda, sem precisar colocar no dedo na ferida. É possível usar o lúdico, a imaginação e lá buscar caminhos possíveis. Assim, surgiu a coleção. Um caminho para nos aproximarmos das crianças e de nós mesmos.

As estórias são simples e trazem processos de mudança, o dilema das escolhas e os fatos que não temos escolhas. As ilustrações da artista Carmem Munhoz em aquarela são incríveis e de um colorido vibrante que convidam para um passeio além dessa realidade.

Sigo produzindo mais dois livros infantis: “Onde foi Parar?” e “Celeste e a Viagem das Botas Azuis”, além de um livro de crônicas sobre o feminino “Tulipas”

Como adquirir a sua coleção: [email protected]

Texto Colaboração:

13035486_10207297386007307_1446248688_oFernanda Zechinatto
Formada em psicologia, com especialização em recursos humanos. Atuação em psicologia clínica, desenvolvimento humano em organizações, psicopedagogia, projetos sociais, medida socioeducativa e professora na faculdade de pedagogia em Itanhaém durante 2 anos. Autora da Coleção de Livros Infantis Tudo Muda de Lugar lançada em 2015 com o objetivo de incentivar a leitura e oferecer a arte como ferramenta para promover a interação e o autoconhecimento. Integra iniciativas da economia colaborativa e criativa. Apoiadora do Projeto Contos de Garagem iniciado pela Canela Borges em São Paulo e que em 5 de junho de 2016 completa um ano de ações de incentivo à leitura abrindo garagens, contando histórias e promovendo encontros.

https://www.facebook.com/contoscronicapoesiasdafe/
Twitter: @nandazechinatto
instagran: @fezechinatto